Uma vez ouvi a seguinte frase: “a única certeza que temos na vida, é que um dia vamos morrer”. Apesar de achar meio pesada em um primeiro momento, ao refletir sobre ela percebi que é totalmente verdadeira, pois a morte chega para todos, apesar de não saber quando e onde.

A morte ainda é um assunto tabu para algumas pessoas, tem aquelas que não gostam de falar sobre o assunto e só de pensar já se sentem mal. Por outro lado, há pessoas que encaram a morte como algo tão natural, quanto o nascimento. Essas diferenças não acontecem apenas no Brasil, pois a visão sobre a morte muda de acordo com a cultura do país e da própria religião. Por isso, no texto de hoje vou apresentar como cada cultura lida com esse tema.

BRASIL

No Brasil o velório normalmente acontece no próprio cemitério, todo o procedimento de funeral e enterro acontece no prazo máximo de 48 horas. Outra característica é o modo como as pessoas se comportam, sendo que muitas choram, devido a dor que sentem em relação a perda.

MÉXICO

Já no México a morte é percebida como uma forma de libertação da vida, por isso nos dias 1 e 2 de novembro é comemorado o Día de Muertos. Nesse dia as pessoas costumam pintar seus rostos e usar roupas de caveira, preparam comidas favoritas das pessoas que partiram e enfeitam as casas com flores e velas, pois nesse dia os mortos tem permissão de visitar seus parentes e amigos vivos.

CHINA

Na China o funeral muda de acordo com a idade, estado civil e status social do falecido. A cerimônia dura em torno de uma semana e a cor das roupas mudam de acordo com o grau de parentesco. O anúncio do velório é feito em forma de convite, sendo normalmente branco, mas se a pessoa tem mais de 80 anos o convite é rosa e é celebrado a longevidade do falecido.

ESTADOS UNIDOS

Já na cultura norte-americana, o velório/enterro pode levar de 4 a 10 dias e as pessoas costumam usar roupas pretas. Há a cerimônia na igreja, onde as pessoas fazem discursos sobre o falecido e levam objetos significativos para enterrar junto com o caixão. Depois tem a recepção na casa da família, onde as pessoas comem, bebem e falam sobre a pessoa que morreu.

ISLÃ

No Islã o luto é vivenciado com equilíbrio e descrição, ou seja, não há alteração na voz na hora de lamentar a perda e as pessoas esperam que Deus conforte as pessoas. O funeral é rápido, em respeito ao falecido e todos são enterrados igualmente, com simplicidade.

JUDAÍSMO

A morte para os judeus é vista como o fim do corpo, pois a alma é eterna, que acontece após conseguir cumprir sua missão na terra.

CATOLICISMO

Para os católicos a morte é uma passagem para a vida eterna, que vai depender das ações praticadas durante a vida, sendo que a alma pode ir para o céu ou para o inferno. Por isso nessa religião não existe a ideia de reencarnação.

ESPIRITISMO

A morte ocorre apenas no corpo físico, pois o espírito vem se desenvolvendo ao longo de muitos anos, ocorrendo as reencarnações. Todas as ações feitas no plano material, ou seja, quando encarnados, sejam boas ou ruins terão consequências nessa mesma encarnação ou nas próximas.

Esses foram só alguns exemplos de culturas de países e religiões, mas há muitas outras que existem no mundo. Por isso é importante respeitar as diferenças e buscar a melhor forma para conseguir se despedir da pessoa amada e elaborar o luto.

PsicON | A Psicologia conectada com você

Autora: Franciane Rodrigues

Anúncios