Autoconhecimento, Comportamento Social, Saúde Emocional

Bloco do eu sozinho: A necessidade de se estar num relacionamento (ou não!)

Tem momentos que percebo que estou refletindo sobre o modo de vida nos dias de hoje e é interessante ver o quanto evoluímos em alguns aspectos, mas em outros temos uma visão mais tradicional, como por exemplo as relações. Quando se fala em relacionamento, muitos acabam associando com namoro ou casamento, sendo que há diferentes formas de se relacionar.

Ao contrário do que ocorria antigamente, hoje em dia a pessoa tem mais liberdade para escolher como vai ser sua vida. Ela pode casar, ou apenas namorar (e não querer casar), ou nenhuma das duas opções, pois prefere continuar morando com os pais ou sozinha ou com amigos ou com seus bichinhos de estimação…. enfim, existem diferentes opções de escolhas. O problema é que as pessoas/sociedade de alguma forma acabam cobrando (de modo implícito) que as pessoas se relacionem do modo tradicional.

Isso fez eu lembrar de uma situação que vivenciei uns anos atrás. Uma vez estava conversando com uma conhecida, que contou a seguinte situação pela qual passou: estava em uma festa e encontrou uma colega que há um tempo não se viam, se cumprimentaram, falaram que estava “tudo bem” e eis que a colega perguntou – “está tudo bem, então você casou?”. Quando terminou de contar, começamos a falar sobre essa crença de que para estar bem, tem que estar em um relacionamento com alguém. Não importa se a pessoa é bem resolvida, trabalha, é independente e acima de tudo, se sente bem assim, o que importa é que ela “precisa ter um relacionamento padrão”.

Se for para seguir essa linha de raciocínio, vai ser difícil encontrar uma solução, pois se você é solteira (o), é questionada (o) por que não namora, se namora, passam a perguntar quando vai casar, quando casa, aí vem a pergunta sobre filhos. A questão não é tanto sobre ter um relacionamento ou uma família e sim sobre o que isso representa para você.

Há pessoas que sentem uma grande necessidade de ter alguém, de estar em uma relação, apenas para não ficarem sozinhas e isso não é bom, pois as chances de se envolver em um relacionamento ruim são grandes. Quantas pessoas que convivi, que falavam sobre o quanto que estavam insatisfeitas com sua vida amorosa, mas quando aprofundava sobre esse assunto, percebia que a preocupação maior era sobre o que os outros iam pensar. Ou então pessoas que estavam em um relacionamento ruim, mas não conseguiam sair dessa situação porque não queriam ficar sozinhas.

Comecei o texto falando que hoje em dia temos mais liberdade de escolha e que podemos decidir como vai ser nossa vida, pois se podemos escolher qual profissão seguir, onde vamos estudar ou até mesmo qual roupa usar, então podemos escolher com quem vamos nos relacionar ou não. A partir do momento em que você passa a cuidar mais de si e cuidar da sua saúde física e emocional, você começa a ter uma outra visão sobre sua vida e percebe que há outras questões importantes. Para finalizar lembre-se, você pode casar, namorar, morar com amigos ou sozinha (o). Você pode fazer o que quiser! O que realmente importa são os seus sentimentos, é você ficar feliz e realizada (o) com suas próprias escolhas.

PsicON | A Psicologia conectada com você

Autora: Franciane Rodrigues

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s